quinta-feira, setembro 20, 2012

Lamentável Estupidez


Imagine essa situação: Você está dentro de uma agencia bancária, tomando aquele habitual “chá de cadeira”, quando de repente entra um grupo de homens encapuzados e anunciam um assalto. Aquele velho discurso de que não querem machucar ninguém, tensão no ar. Um movimento brusco de um funcionário e...POW! Alvejado a queima roupa. Pânico entre todos, para tentar controlar a situação, mais tiros são deflagrados. Todos no chão, é o tal “salvem-se quem puder.” E no meio dessa loucura o que você faz?

Depois de alguns minutos de reflexão, você então decide encarar os bandidos. Pensa: “Vou dizer-lhes umas verdades”. Só que uma dúvida permeia sua mente. Como falar pra esses caras que eles são “uns merdas”?  Ah! Porque não pensoi nisso antes: Usar o sarcasmo é uma boa pedida! Não há nada melhor que o Humor para atingir o cerne das coisas. Então, disposto a soltar “umas gracinhas” você se levanta, caminha em direção aos assaltantes e escuta o estopim de um calibre 38. A bala se aloja em seu tórax e lá se acomoda confortavelmente como um hóspede num hotel 5 estrelas.


Essa pequena ilustração serve para mostrar o quanto foi insensato o cartunista que ontem publicou num pasquim de humor francês, o Charlie Hebdo, desenhos satirizando a figura do profeta Maomé. Os desenhos mostram o fundador do Islã em situações constrangedoras. Indagado sobre a publicação, Stephane Charbonnier, editor e criador dos desenhos, defendeu-se utilizando como argumento a liberdade de imprensa e ressaltou que Maomé não é sagrado para ele.


Ainda de acordo com o mesmo, se o periódico pode satirizar a direita católica na França, não há motivos para não fazer o mesmo com os muçulmanos. Só que o que ele esquece é exatamente o contexto de violência que está ocorrendo no mundo islâmico, por causa de um filme estadunidense de péssima qualidade que faz “piadinhas pornográficas” com a fé alheia. O embaixador dos EUA na Líbia foi brutalmente assassinado e outras embaixadas também sofreram ataques e ameaças. Nem bem abaixa a poeira, vem um engraçadinho “botar lenha na fogueira” porque tem liberdade de expressão.


Imbecilidade querer fazer piada com quem não tem nenhuma disposição para sorrir. Os fundamentalistas do islamismo não deixam barato esse tipo de coisa, e já deram prova disso. O governo francês reforçou a segurança na embaixada americana em seu país e nas escolas, com medo de que novos ataques façam mais vítimas inocentes. Não se brinca com quem não está para brincadeira. Bem verdade que a liberdade deve ser uma bandeira levantada, mas em certas situações extremas é preciso suprimir os direitos para garantir a própria sobrevivência. Aposto que o Charbonnier não quer “bancar o mártir” em prol da liberdade de imprensa...Lamentável a sua estupidez! 

4 comentários:

  1. Rapaz, apesar dos pesares, acredito que ainda vale a pena publicar. Acho que a liberdade de expressão tem que falar mais alto que o terrorismo - que busca exatamente isto: o poder por meio do medo. Então que o artista se expresse e o que o Estado garanta a segurança.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só acho que deveria esperar um momento menos nervoso...

      Excluir
  2. Entendo que a charge é uma ferramenta artística política e social. E todos deveriam ter a liberdade de usá-la.

    O problema de publicações de charges como essa são que, as pessoas diretamenta atingidas, não serão, neste caso, os chargistas, mas cidadãos franceses no exterior.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente...mas fico preocupado com essa "nossa liberdade". Seria ético usá-la pra ofender? Os islâmicos se ofendem com isso, e pelo que sei, nunca tive notícias de que eles "brincaram" com o cristianismo...Acho que devemos rever esse conceito de liberdade de expressão. Pelo menos usá-lo melhor, pra reivindicar direitos no qual milhões de pessoas estão a margem por conta de um sistema desigual...Há outros temas bem mais relevantes pra se fazer uma crítica bem humorada...

      Excluir