quinta-feira, novembro 04, 2010

Quem é o ladrão?




Invisíveis para o Governo.
Invisíveis para as pessoas.
Jogados, esquecidos, marginalizados.
Vivendo aqui, ali, à toa.
Só são vistos quando roubam.
Quando furtam, quando matam.
Só assim para serem notados.
E a sociedade logo cai de boca.
Inquisidores modernos 
querendo as chamas.
O jeito mais fácil de 
livrar-se do fardo.
A clausura dita como reeducação,
Que só faz promover a rebelião.
Eu fico a me perguntar:
Quem são os criminosos?
Quem de fato é o ladrão?
O menino que roubou pra comprar droga ou pão?
O ladrão seria então a criança?
Ou seria o sistema que roubou sua infância?

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. NOOoossa!! De arrepiar!!! A formatação condiz com o poema polêmico, da triste biografia das crianças marginalizadas pelo sistema, que passam por invisíveis aos governos que finge não ter nada a ver com suas condições, culpam as populações, e neste jogo de empurra, os menores são tachados de pivetes, delinqüentes, viciados!!! São sofridos... perdidos... obrigados por suas famílias desestruturadas, quem vivem na miséria, sem poder dar-lhes exemplo, carinho, educação, ou mesmo são abandonadas nas frias ruas da vida, para pedirem comida... Já são adultos, mesmo com tão pouca idade, por terem tido suas infâncias arrancadas brutalmente nesta infinda luta por sobrevivência!!! Parabéns Thiago, por sua postura diante do mundo! Se todos fossem como vc, O invisível passaria a ter brilho, ou quem sabe colorido, como mereciam ser, todas as crianças... com educação, saúde e AMOR!!!

    ResponderExcluir
  3. Pois é cara, nossas crianças sofrem tanto quanto qualquer nação em guerra.

    ResponderExcluir
  4. Muito bom!
    Odeio escrever sobre esse tipo de tema, porque sua existência em si já é triste. Gostaria de escrever mais sobre igualdade, acredito que você também.
    Quem será o ladrão?
    Uma ótima pergunta e um ótimo poema.

    ResponderExcluir